25 de Novembro de 2009

A protagonista foi outra, mas viu-se na cara da mamã a alegria. O momento de partilha da dança de Moçambique valeu a pena e emocionou, a dançarina, assistentes e o anfitrião Tito Paris.

 

 

À Sílvia desejamos todos uma óptima viagem para Maputo.

Que leves a vida como levas a dança: descontraída e perfeita!

Mil Felicidades!

publicado por Praiamorena às 23:27

08 de Outubro de 2009

Por muitos motivos, diversas situações, acabámos por discutir.

Melhor, por discordar.

Ela falou, refilou, encheu-se de razão como sempre.

Assumiu o papel de que se fosse por ela as coisas não teriam acontecido da forma como aconteceram. Até ele a apoiou!

Rispostei até onde deu. Depois, engoli, irritei-me e fui dormir mais cedo.

Passei a noite em claro, como seria de esperar.

No dia seguinte... tudo normal.

Não havia zanga nem ressentimento!

Só eu é que continuava a remoer todas as palavras que me tinha "cuspido" na noite anterior.

Ela? Mantinha-se vitoriosa!

publicado por Praiamorena às 14:36

08 de Junho de 2009

É bom quando ela se preocupa. Do outro lado do telefone ouve-se um som doce, sente-se uma ternura que só apetece prolongar a conversa por uma eternidade.

É até estranho receber esse amor tão óbvio.

Parece que não é ela.

Nas primeiras vezes desconfias: "ela deve querer pedir algo tão chato que está a usar todas as estratégias".

Mas o pedido não chega.

Nas vezes seguintes achas que ela foi "possuída" pelo ET.

Mas afinal é bondade natural.

Depois pensas apenas no quão bom é ela revelar o lado mel dela, aquele preparado especialmente para ti.

Já olhas para ela como fonte de inspiração para resolver situações que nunca serias capaz de lhe contar, nem a (quase) ninguém.

"Como será que ela faria?"

Vês naquela mulher, que ralha contigo pelo menor grão de pó possível, a heroína para solucionar um leque de "pepinos e pimentos", que tu própria criaste, na inocência da inexperiência.

Mas silencias essa possibilidade.

Voltas a pô-la onde nunca devia ter saído, no papel rígido de mãe.

Só que ao fechares os olhos sabes que aquela redoma criada para que uma não penetre na vida da outra  pode ser desvanecida e aproveitas mais um ou dois, ou três momentos de ternura... impagável!

publicado por Praiamorena às 22:25

16 de Fevereiro de 2009

Andava a evitar postar enquanto este layout não estivesse a meu gosto.

Mas torna-se impossível guardar tantas historinhas, correr o risco de esquecê-las até.

 

***********************************************************

Certo dia liguei-lhe, afinal já não ia visitá-la há algum tempo e também já não ouvíamos as nossas vozes há tempo suficiente para ela reclamar.

Fiz a minha parte, sendo assim, e entre uma conversa e outra disse-lhe:

- Este fim-de-semana vou aí.

- Tudo bem podes vir - respondeu. - Eu não vou estar por cá.

- Não? Como não? Eu vou aí para estar convosco.

-  Pois, podes vir. Nós não vamos estar. Chega antes de irmos para te vermos.

 

Bem, as coisas mudaram muito: "Chega antes para te vermos???" Claro que questionei!

- Ora, se quando vens vemos-te por períodos por ti determinados agora qual é a diferença? - rispostou vitoriosa.

 

Afinal estava à espera da melhor oportunidade para me dar o troco e eu nem sabia que merecia troco. Mas para agravar acrescentou:

- Olha aproveitas e dormes o fim-de-semana inteiro.

 

E eu que pensava que me ia convidar para ir com eles passar o fim-de-semana fora?!

Ingénua!

A isto eu chamo de tomar a liberdade de castigar.

publicado por Praiamorena às 20:13

31 de Dezembro de 2008

Não faz muito tempo esta era uma época muito complicada.

Festas não faltavam e proibições também não.

Começava a pedir para sair em mal o mês de Dezembro começava. Imaginava o que ia vestir, o perfume, o sapato, tudo como se fosse o baile da cinderela, mantinha a chama acesa da esperança para que no dia 31 a resposta fosse: "Sim podes!"

 

Esperei anos por essa resposta. Ainda não estávamos a 30 e eu já sabia que a criatividade na moda podia ser deixada de lado. Não haveria festa para ninguém.

 

E no meio de tantos argumentos possíveis havia um que me irritava solenemente: "Não estás bem aqui com a família?"

 

A família eram os tios, os pais e nada mais. Os outros já tinham ido às suas festas e só os veria no dia seguinte a contarem as peripécias do Ano Novo.

 

Por muito tempo foi a altura do ano que mais abominava. Não por não gostar, mas por saber que iria passar a madrugada a ver o "Príncipe de Bel Air" e a ouvi-los gabar por ser a única que fazia companhia.

 

Gosto deles, todos. Mas contar, no dia seguinte, as palermices do Will Smith quando jovenzito não entretém para ninguém!

 

Hoje há festa, há "certa liberdade", mas já vi na cara dela o pânico e consigo imaginar um dos 12 desejos quando comer as passas (Não vou revelar para não agoirar, embora seja um desejo dela e não meu e até possa não ser do meu agrado :D )

 

Feliz Ano Novo!!!

publicado por Praiamorena às 18:47

27 de Dezembro de 2008

Minha mãe é complicada, deveras.

Hoje mais do que ontem tenho a certeza. Ou é uma forma de animar a nossa relação. Torná-la interessante, com discussões e risos; desentendimentos e carinhos.

O certo é que hoje, mais do que ontem, também sei que é assim e não dou a importância que dava, apenas aprecio e relativizo. Sorrio perante as suas reacções positivas e suspiro perante as negativas.

 

Na véspera de Natal cheguei cheia de sacos. O dela vinha junto. Um presente que procurei com afinco e encontrei sem querer!

Adorei.

Entrei com um sorriso e fui recebida com um raspanete. Ok, tudo normal até aí. Tem sido sempre assim. Juntei-o à colecção dos raspanetes de recepção e segui caminho.

Fui despejando as prendas pela árvore e disse-lhe: Este é o seu.

 

- Quem te mandou gastar dinheiro???? Só gastas dinheiro à toa!

 

Imaginem a minha cara! Mas respirei, suspirei e deixei que o dia seguinte decidisse e suscitasse a reacção positiva.

Primeiro a tormenta depois a bonança. Aqui é igual.

 

Dia 25, acostou-se e no meu ouvido disse um "Obrigada" que há muito não ouvia e sorriu como há muito eu não via. Gostou da prenda na qual gastei dinheiro à toa.

 

Por um momento fiquei estarrecida, depois comentei com os meus botões que um dia vou ser como ela

publicado por Praiamorena às 15:12

24 de Dezembro de 2008

... o normal seria que sim! Mas achei melhor resistir a tentação de ignorar datas, especialmente esta e contar uma pequena historinha. As personagens mantêm-se: mãe e filha. Apenas as épocas variam

 

Foi no Natal de uns valentes anos atrás. Parecido aos outros em que se passou naquele mesmo lugar e com aquelas mesmas pessoas.

Uma euforia desatada por participar nos preparativos e um corre-corre saudável de gente grande pela casa.

 

Já nessa altura a MP (como agora prefiro chamar-lhe) exigia que a filha aprendesse e colaborasse em casa: arrumar, limpar, cartar água, encerar, fazer bolos, fritos, alimentar os animais e tudo o que mais houvesse para fazer.

 

Também nessa altura todas essas tarefas eram uma aventura.

Não custava nada fazer! Falem comigo hoje e proponham metade dessas actividades para um dia e eu torço o nariz com a força que tenho!!!

 

No século passado, na idade da inocência, candidatava-me a tudo. Fazer bolos e fritos era a minha área de eleição, mas nunca fazia exactamente o que queria.

Nos fritos não era eu a bater a massa, nem a colocá-la no óleo a fritar. A função era básica: fazer os feitios: tranças, enrolados, argolas, etc.

 

Ainda assim era mais divertido do que a parte do bolo.

Ficava a olhar c ar de deleite para a elaboração do bolo, à espera de poder pôr as mãos em acção.

A espera era longa. A parte do fim é que me cabia: untar a forma!

Trabalhinho chato, sujo, cheio de minúcia mas que ara mim não tinha nada a ver com "fazer bolo".

E ela, MP, sorria e dizia:

 - Essa é a parte mais importante do bolo. Tens uma grande responsabilidade!

 

Para mim era apenas a mais chata, a mais desagradável e que ninguém dava valor.

Quando as pessoas o comiam nunca perguntavam: "Quem untou a forma deste bolo tão bom?"

Mas sim: "Quem fez este bolo tão bom?!"

Até hoje há o trauma.

Hoje que é véspera de Natal e dia de preparativos lembrei-me disso e espero que ninguém se lembre de me pedir para untar a forma. Seria uma afronta!

O pior é que não posso negar o pedido porque ele vem em jeito de ordem!!!

Mudam-se os tempos mantêm-se algumas vontades

 

Feliz Natal!!!!

publicado por Praiamorena às 09:42

feedback
As histórias andam sempre aqui, a vagar pela mente...
Olha! a Praia Morena voltou :) Já tinha saudades d...
Passado um mês... sim, a vida merece pausas de si ...
Isso é bom! O importante é que se consiga ir volta...
Há dias em que por mais que se queira as coisas nã...
Olá "chato" :) (desculpa ter tomado a liberdade)Va...
:) estamos de volta? Gosto imenso!!! vou esperar p...
Este é o teu blogue pessoal, publicas e promoves o...
As mudanças fazem parte dos processos evolutivos, ...
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575PODE HA...
pesquisar
 
blogs SAPO