06 de Junho de 2009

Ontem dizia que tinha pensado em escrever num sítio novo, por sentir que há relatos que podem não estar relacionados directamente com o Mãe Preta.

Mas no fundo o que se precisa é de uma folha de papel, não importa de que bloco é que ela sai.

Esta telinha também serve para os desabafos.

 

Faz já muito tempo desde a primeira vez compreendi que o sentimento de solidão tem grande afinidade com o de ingratidão.

Porquê? Pelo simples facto de me sentir mais sozinha quanto mais gente tivesse à volta.

Este é um assunto recorrente, passe por que fase passar este é um tema que vem sempre à baila, pelo menos no meu pensamento.

 

A conversa desta vez surgiu com uma amiga que está a sentir o mesmo. E o desabafo fez desvanecer um pouco essa sensação. Somos demasiado exigentes quando queremos que a nossa companhia seja uma e nos apareçam todas menos ela.

 

Mas nada como um suspirar a seguir a outro.

 

Hoje conto os dias e percebo que estou mais receptiva. É mais fácil para lidar com os restantes dias. Nem sequer é por drama, mas é mesmo porque em cada sítio que vamos procuramos referências.

Não encontrá-las deixa-nos desorientados.

É como se eu não tivesse poder. Não pudesse dominar nada.

 

Mas, hoje há receptividade.

Isso conta... cá vou eu, até amanhã!

publicado por Praiamorena às 09:32

A solidão em si é um estado oposto da ingratidão. As referências que teimosamente fazemos questão de usar e onde fazemos depender a maior parte das nossas decisões são armadilhas ou amarras das nossas mentes com escape ao trauma da aventura e do desconhecido
6 de Junho de 2009 às 12:21

Referências = armadilhas, sim é bem possível.
Mas abdicar delas é também reformular a identidade pessoal a cada minuto. Não é um processo fácil
6 de Junho de 2009 às 22:28

Referencias, Poder, Solidão e Ingratidão estão todos interligados.
Temos é saber dosear cada um destes pilares.
Desde que nascemos somos habituados a ouvir certas e determinadas coisas, que são referencias para o nosso Futuro. Tanto para um lado ou para outro. Exemplo: Eu quando for grande quero ter muito dinheiro, e temos os pais a dizer: nascemos pobre e morreremos pobres e a criança das duas uma: ou entra na mesma matriz ou luta por sair dela e conseguir ter o que pretendia.
Solidão e Ingratidão... Solidão faz parte de todos nós, estando acompanhados, por opção ou não.
No entanto a solidão é-nos proporcionada para estarmos connosco próprios, logo... Não estamos sós. A ingratidão... essa são os outros que nos fazem sentir assim.
Escreve. Não pares, nem que seja só para Ti, numa folha branca ou num caderno quadriculado.
Bom FDS
Bijim

6 de Junho de 2009 às 23:00

feedback
As histórias andam sempre aqui, a vagar pela mente...
Olha! a Praia Morena voltou :) Já tinha saudades d...
Passado um mês... sim, a vida merece pausas de si ...
Isso é bom! O importante é que se consiga ir volta...
Há dias em que por mais que se queira as coisas nã...
Olá "chato" :) (desculpa ter tomado a liberdade)Va...
:) estamos de volta? Gosto imenso!!! vou esperar p...
Este é o teu blogue pessoal, publicas e promoves o...
As mudanças fazem parte dos processos evolutivos, ...
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575PODE HA...
pesquisar
 
blogs SAPO